09jun/16
13413142_1150683858288037_6699611260723030917_n

Ong Ciclo Urbano na IV Semana do Meio Ambiente

A data de 05 de Junho é celebrada em todo o planeta como o “Dia Mundial do Meio Ambiente”, portanto, a Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) do município de Aracaju está realizando do dia 06 a 10 de Junho a “IV Semana do Meio Ambiente” com o eixo temático “Educação ambiental: da teoria à prática”.

A ONG Ciclo Urbana foi convidada a ministrar um minicurso relacionado à Mobilidade Urbana, o qual foi realizado em 08 de Junho – na Universidade Tiradentes, em Aracaju/SE – através da facilitadora Manuelle Saturnino, membro associada da Ciclo Urbano.

“É nítido que o sistema de mobilidade urbana de inúmeras cidades brasileiras, não excluindo Aracaju da lista, necessita de reformulações as quais priorizem os deslocamentos realizados por pedestres e ciclistas”, afirma Manuelle. A partir desse pensamento, ela elaborou como tema do minicurso “Mobilidade Urbana: Cidade para pessoas.”

No slide a seguir, você confere o material apresentado por Manuelle na IV Semana de Meio Ambiente – link pdf.

Para Manuelle, o minicurso foi um desafio maravilhoso. “Compartilhar o conteúdo por 6h, entre as turmas da manhã e da tarde, foi de muita conversa. Falar sobre um tema tão importante e melhor ainda, trazermos discussões sobre a nossa cidade, tornou o minicurso muito mais proveitoso e reflexivo”.

Mobilidade Urbana: cidade para pessoas

Mobilidade urbana é um tema muito compartilhado que consiste no sistema de deslocamento dos moradores e transeuntes pelos espaços públicos, realizado por todos e quaisquer modais, como a pé, skate, patins, bicicleta, transporte público coletivo, transporte de carga e veículos motorizados particulares. Uma cidade com adequado sistema viário atende à população para que esta se locomova de forma eficiente e segura, integrando com os preceitos sustentáveis de equilíbrio entre as esferas ambiental, social e econômica.

Cidades para pessoas fogem dos ideais do modernismo em separar as necessidades básicas de morar, lazer e trabalhar, o que expulsou, ao longo do século XX, os cidadãos das ruas, tornando-as desagradáveis para os pedestres, além de estenderem o espaço urbano de forma difusa para os subúrbios. Em contrapartida, os princípios para que uma cidade seja amigável a seus usuários são compactar e adensar as áreas ocupadas, melhorar o sistema de transporte de massa, misturar e diversificar os diferentes usos do solo, conectar as vias com espaços públicos de qualidade, afinal de contas, o sistema de mobilidade urbana não se restringe somente aos deslocamentos, bem como às paradas e vivência exterior às edificações, criar sombra (arborização) e abrigos para pedestres e ciclistas. Deste modo, as pessoas se sentem convidadas a circular pela cidade, motivando segurança e qualidade de vida. Os benefícios em promover esses princípios são econômico, social, ambiental e físico, tanto para os citadinos, quanto para a própria cidade em si.

Manuelle exemplifica: “Por exemplo, cidades saudáveis geram cidadãos saudáveis, significando em menores gastos na saúde pública para tratar as doenças decorrentes das consequências em se viver em lugares com pouco verde, de trânsito estressante, muito tempo gasto para se deslocar e pouco tempo para a família ou outras atividades”, acrescenta ainda que “O sedentarismo pode causar hipertensão, obesidade, câncer, dentre outras enfermidades contemporâneas. Cidades onde crianças possam brincar, idosos, grávidas, pessoas com necessidades especiais, mães e pais com seus carrinhos de bebê consigam se mover sem obstáculos, munidas de pontos de encontro e percursos que incentivem o caminhar ou pedalar em curtas e médias distâncias, além do deslocamento a longas distâncias via transporte coletivo, são ideais para todos e quaisquer tipos de cidadãos”, finaliza.

09maio/16

Vem aí mais uma edição do Dia de Bike ao Trabalho, sexta-feira (13)

13055467_1008601785841764_2656931286464331747_n1-624x230

Na próxima sexta-feira, 13/5, será o Dia de Bike ao Trabalho, atividade realizada pela rede Bike Anjo.

Como nos anos anteriores, atividades Brasil afora são sempre benquistas para dar mais vida e significado a este dia especial para quem pedala em terras brasilis.
AQUI você encontra o link do lançamento no SITE do De Bike ao Trabalho e AQUI tem o link do lançamento da campanha no Facebook.
Esse ano, a campanha ganhou um logo novo e o twibbon (ferramenta para personalizar perfis pessoais com o logo).
No ano passado, foram mais de 1500 pessoas atingidas pela campanha, em 205 cidades, em todos os estados do Brasil, além de 69 atividades em 32 cidades. Esse ano, podemos ter ainda mais resultados, para além destes bons números. Para isso, você pode se envolver na campanha:

»Participe da PESQUISA De Bike ao Trabalho

» Divulgue os MATERIAIS de dicas para o De Bike ao Trabalho para seus colegas de trabalho

» Inscreva AQUI uma atividade para o De Bike ao Trabalho 2016

» Diga o que SUA ORGANIZAÇÃOestá fazendo para promover a cultura da bicicleta ao trabalho

» Seja um PARCEIRO da campanha De Bike ao Trabalho

» Siga o FACEBOOK e TWITTER para compartilhar a campanha

Razões do novo logo:

Em 2015, durante e após a campanha De Bike ao Trabalho, surgiram inquietações acerca da logo utilizada para a divulgação do material. Como se não bastasse a logo utilizar referências masculinas em sua concepção (pasta e gravata, acessórios usados preferencialmente por homens), tais elementos ainda remetem a profissões formais, burocráticas, típicas de ambientes corporativos, não abarcando a diversidade de trabalhos e profissões exercidas pelas pessoas. Ficou então o compromisso de que tal logo seria revista para a campanha de 2016.

É importante salientar que, desde o ano passado, as mulheres que fazem parte do Bike Anjo têm se fortalecido em suas lutas, discussões e conquista de espaços, participando, de forma cada vez mais amadurecida, dos processos relacionados às questões de gênero, tão presentes em nossa sociedade.

Dessa forma, em 2016, após ampla participação na lista de e-mail, foram retirados da logo quaisquer elementos que fizessem referência a gênero. A nova logo dá ênfase e destaque à bicicleta e à cidade, por entendermos que uma campanha que estimula o uso da bicicleta para ir ao trabalho, implica necessariamente estimular uma nova visão e uma mudança na nossa relação com os espaços urbanos.”
28abr/16
Foto: Michelle Castilho

ONG Ciclo Urbano recebe prêmio A Promoção da Mobilidade por Bicicleta no Brasil

A premiação está ocorrendo na cidade do Rio de Janeiro entre os dias 27 e 29 de abril, através da realização do IV Workshop promovido pela Transporte Ativo. No Ano de 2015 a ONG Ciclo Urbano recebeu o prêmio na Categoria: Ação educativa e de Sensibilização com o projeto Bike Blitz e também na Categoria: Levantamento de dados e pesquisas através do projeto Contagens de Bicicletas.  Neste ano, 2016, o destaque vai para o projeto “Pesquisa Origem e Destino”.

“A Pesquisa Origem e Destino das viagens de bicicleta no município de Aracaju, realizada entre os anos de 2014 e 2015, é o primeiro estudo do gênero com abrangência absoluta dos bairros de uma capital brasileira, ” afirma Luciano Aranha, presidente da Ciclo Urbano.

Voluntários e associados da Ciclo Urbano percorreram os 39 bairros do município de Aracaju, onde a aplicação dos questionários foi proporcional à população de cada um, segundo o censo 2010 do IBGE. O número total de questionários aplicados foi de 1001 ciclistas. Além das informações do ponto de origem e do ponto de destino, alguns itens foram levantados, como gênero do ciclista, idade, renda familiar, setor da atividade que exerce profissionalmente, tipo de bicicleta, motivo da viagem, forma de estacionamento, dentre outros.

“Representar a ONG Ciclo Urbano é algo desafiador e ao mesmo tempo gratificante” , destaca Manuelle Saturnino, associada e voluntária há mais de um ano. Para Sayuri Dantas que está há mais tempo atuando na organização, acrescenta “Fico muito feliz por acompanhar o crescimento da Ciclo Urbano e saber que nossa luta tem sido reconhecida pelo Brasil afora, isso nos dá mais força para continuarmos a promover a utilização dos meios de transporte a propulsão humana em nossa cidade”.

5775bf1b-5dc2-4a57-8360-767b37495dc8

“A pesquisa pretende servir de base para transformações positivas no sistema cicloviário do município de Aracaju, visando priorizar investimentos em rotas com maior fluxo de ciclistas urbanos. Parabenizo nossos associados/voluntários pela determinação em levantar essas informações, sinto-me muito agradecido e orgulhoso”. Finaliza Luciano Aranha.