26nov/18

Com bicicleta branca Fabrício Souza Silva é homenageado

Na última quinta-feira, 22 de novembro, em Aracaju foi instalada mais uma bicicleta branca em um poste. A Ghost Bike homenageou Fabrício Souza Silva, 13 anos de idade, atropelado no dia 24 de outubro na Av. Santos Dumont, Orla de Atalaia, por um motorista que não parou para prestar socorro e segundo testemunhas, estava em alta velocidade.

Cerca de 70 pessoas em bicicleta participaram de uma bicicletada em direção ao local do atropelamento para lembrar o crime de trânsito e chamar a atenção para o respeito a ciclistas e pedestres que são os mais vulneráveis no trânsito e os que demandam de melhores condições para seus deslocamento urbanos.

O Brasil encontra-se entre os cinco países com mais mortes no trânsito. O combate a esse tipo de crime é ainda mais dificultado pela falta de punição aos responsáveis. Esta situação é atribuída a uma série de fatores que passam pela estrutura viária que permitem altas velocidades, ausência de campanhas educativas e de fiscalização. Um alerta para que os pontos críticos sejam analisados, as medidas tomadas sejam repensadas e a punição exista.

***Ghost Bike (bicicleta fantasma) é uma bicicleta branca instalada pela cidade em memória a ciclistas que morreram no local em decorrência a violência no trânsito. Seu propósito é também chamar a atenção para as reivindicações pela segurança viária.

18out/18

NPD realiza exibição de filmes sobre mobilidade urbana

Com intuito de conscientizar a sociedade sobre a importância do uso da bicicleta e outras formas de locomoção urbana no Brasil, o Núcleo de Produção Digital (NPD) Orlando Vieira, unidade vinculada à Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), promove o Cine Ciclo, em parceria com a ONG ‘Ciclo Urbano’. A iniciativa acontece nesta quinta-feira, dia 18, a partir das 17h30, no Centro Cultural de Aracaju, localizado na praça General Valadão. O evento, que também faz parte da programação de aniversário do Centro Cultural, contará com a exibição dos curtas “Sinal vermelho: a arte de rua pede passagem” e o “Elo perdido – O Brasil que pedala”, além de uma roda de conversa com os temas: arte na rua, mobilidade urbana, e o direito à cidade.

A coordenadora do NPD, Graziele Ferreira, destaca a motivação da parceria da ONG junto à causa. “O papel fundamental do Núcleo de Produção Digital é fomentar a democratização do acesso a nossa produção audiovisual local, com exibições de forma pública e, por isso, a importância de debater sobre trânsito, mediante a valorização do filme sergipano Sinal vermelho. Com isso, a comunidade Ciclo Urbano observou no audiovisual uma meio de propor melhorias em sua qualidade e eficácia, com a finalidade de instigar nos aracajuanos formas ativas de locomoção”, explica.
Dirigido e produzido pelos acadêmicos Cariolando Santos e Luciano Freitas do curso de cinema e audiovisual da Universidade Federal de Sergipe (UFS), o curta “Sinal vermelho: arte de rua pede passagem”  conta, por meio dos relatos de artistas de rua, sobre o direito às cidades, mobilidade e, principalmente, o consentimento a vida. Além deste, o “Elo perdido: O Brasil que pedala”, com a direção de Renata Flazoni, reflete sobre a realidade de um país que pedala e constantemente luta diante da atual situação de motorização de carros e motos, e analisa também a significativa relação das pessoas como o meio de transporte sustentável, a bicicleta.
A entrada é franca e o Cine Ciclo ocorrerá na sala de exibição do NPD, no Centro Cultural de Aracaju. Para mais informações, acompanhe a ONG ‘Ciclo Urbano’ nas redes sociais: @ongciclourbano.
Fonte: PMA 
03set/18

Deficiências em ciclovias deixam ciclistas à mercê de veículos

Quem utiliza bicicleta em Aracaju como meio de transporte e precisa cruzar ciclovias como as das avenidas Heráclito Rollemberg e Tancredo Neves, sabe a quantidade de desafios que se têm pelo caminho. Piso deteriorado, obstáculos, interrupções na malha cicloviária, falta de sinalização entre tantos outros problemas. Num estudo recente do pesquisador Waldson Costa, Aracaju atinge somente a média 1.3 em ciclabilidade numa escala de 0 a 4. Nessas condições se encontram cerca de 15 mil ciclistas que diariamente circularam por Aracaju, segundo a ONG Ciclo Urbano.

Confira a reportagem completa no vídeo:

Fonte: Infonet