07ago/18

SMTT e ONG Ciclo Urbano constroem parceria em estudo de ciclomobilidade

Na manhã desta sexta-feira, 3, diretores e técnicos da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Aracaju estiveram reunidos com representantes da ONG Ciclo Urbano para apresentação do índice de ciclomobilidade. O objetivo da ONG é mostrar o quanto a bicicleta é um meio de transporte amigo e pode representar uma melhoria na mobilidade dos cidadãos.

Na reunião foi apresentado o escopo para a elaboração de um plano de mobilidade para ciclistas, pedestres e veículos motorizados de baixa cilindrada para e inclusão no Plano Diretor de Mobilidade Urbana da capital. Foram apresentadas imagens, vídeos e dados estatísticos que servirão de análise para a gestão entender quais pontos serão focados no início do projeto.

O membro da ONG Ciclo Urbano, Waldson Costa, explica que a pesquisa vai ajudar na elaboração de um plano de mobilidade para ciclistas. “Estamos desenvolvendo um projeto com alguns parceiros para a criação de uma ciclorrota turística que vai ligar o bairro Atalaia até o centro da cidade. Assim as pessoas e os turistas não dependerão exclusivamente do carro ou ônibus para conhecer os pontos turísticos e chegarão com mais facilidade e rapidez”, disse Waldson.

Entre os presentes, o vice-presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil, Magno Rangel, enalteceu o engajamento que os parceiros precisam ter nesta etapa inicial. “Estamos contando com os principais parceiros para que esta ideia de certo. Queremos que este piloto se inicie para que possamos garantir uma mobilidade melhor para os ciclistas de Aracaju”, disse.

Fonte: SMTT/Aracaju

18jul/18

Conheça o Perfil de Ciclista de Aracaju

Este é o resultado da segunda edição da Pesquisa Perfil do Ciclista 2018. “Nesta segunda edição, além do Brasil, foram incluídas cidades da Argentina, Colômbia e Equador. No Brasil, foram entrevistados 7644 ciclistas em 25 cidades das diferentes regiões brasileiras: Afuá (PA), Antonina (PR), Aracaju (SE), Belém (PA), Brasília (DF), Cáceres (MT), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Gurupi (TO), Ilha Solteira (SP), Mambai (GO), Manaus (AM), Niteroi (RJ), Palmas (TO), Pedro Leopoldo (MG), Pomerode (SC), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), São Fidelis (RJ), São Paulo (SP), Sorocaba (SP), Tamandaré (PE) e Tarauacá (AC). Na Argentina, a pesquisa foi realizada em 3 cidades sendo elas Rosário, Salta e Santa Rosa. Já na Colômbia, 4 cidades fizeram parte da pesquisa: Bucaramanga, Medelín, Popayan e Villavicencio. A pesquisa foi organizada pela Transporte Ativo e pelo LABMOB-UFRJ, e contou com uma extensa rede de organizações colaboradoras que levaram a campo, entre setembro de 2017 e abril de 2018 mais de 140 pesquisadores.” Para acessar o relatório completo: http://transporteativo.org.br/ta/?page_id=11570

 

11jun/18

Ciclo Urbano marca presença em três eventos sobre bicicleta no Rio de Janeiro

De 8 de junho a 15 de junho o Rio de Janeiro passa a respirar o tema ciclismo urbano. Três eventos sobre o tema ocorrem quase simultaneamente na cidade, Bicicultura 2018 (8 a 10 de junho), Encontro Latino-americano de Sistemas de Bicicletas Públicas e Compartilhadas (9 e 10 de junho) e o internacional Velo-City 2018 (12 a 15 de junho). Sayuri Dantas, atual presidente da ONG Ciclo Urbano está conferindo tudo de pertinho e apresentará dois projetos durante os eventos: Bike Blitz e Ciclorrotas de Aracaju: análise do potencial da extensão da malha cicloviária da cidade através do compartilhamento viário.

 

Foto: Erica Telles (UCB)