phpThumb_cache_www.aracaju.se.gov.br_srcc35856cedd09d4e5fd96965031be3891_par32df3178023bb7b71a84b9034b5fa75e_dat1427890205-2190-540-340-80-c

Um dos grandes problemas de trânsito da maioria das cidades brasileiras é a ausência de um planejamento urbano que consiga manter em harmonia o tráfego de veículos pesados, automóveis e meios alternativos de transporte, como a bicicleta. Em muitas capitais a proposta do modal cicloviário tem sido uma alternativa para ampliar a estrutura viária além de transformar a bicicleta de aluguel como transporte numa solução atrativa como veículo sustentável e não poluente. Dentro dessa realidade, foi implantado em 30 de Março de 2014 o projeto Caju Bike, que está presente em vários bairros de Aracaju, e faz parte das propostas de melhorias de mobilidade urbana na capital sergipana.

Baseado nos modelos de bicicletas de aluguel de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, o projeto Caju Bike começou a ser desenvolvido em 2013 e foi apresentado a empresa que gerenciava o sistema na região sudeste, a Samba Transportes Sustentáveis. Do que foi apresentado à empresa, Aracaju foi vista com bons olhos para a implementação do sistema, graças o desenvolvimento de ciclovias, o relevo plano e o clima litorâneo, atributos que tornaram possível o sucesso do Caju Bike.

“O Caju Bike tem uma característica interessante, projeto só funciona quando as pessoas entendem que elas estão inseridas dentro dele. Então se não tivermos essa mudança cultural, essa mudança de perspectiva, ele não vai pra frente. Quando começamos a gestão nós pensávamos em meios de melhorias da mobilidade urbana, e vimos que o fator modal cicloviário é um divisor de águas quando se fala em melhoria de mobilidade. Inicialmente a proposta era desenvolver um meio de locomoção que facilitasse a chega rápido a um destino muito longe para se ir a pé, e perto pra ir de carro, poderia ser feito de bicicleta. Tínhamos 10 estações e 100 bicicletas. Na época, Aracaju possuía 55 quilômetros de ciclovias, hoje ultrapassamos os 65 quilômetros. Por ser gerenciado, temos todos os dados das utilizações e destinos, o que nos facilita traçar um perfil dos usuários e como o Caju Bike está sendo realmente utilizado”, comemora o assessor de comunicação da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju (SMTT), Flávio Vasconcelos, que acompanha o projeto desde a criação.

Neste primeiro ano, o Caju Bike alcança marcas importantes como nenhum furto de bicicletas, contabiliza mais de 88 mil viagens realizadas, com uma média de 42 viagens por dia e entre 15 e 18 viagens por hora, das 6h às 22h. “Em breve Aracaju receberá mais duas novas estações do Caju Bike, que deverão ficar próximas às estações existentes. Hoje recebemos demandas de implantação do sistema em bairros com maior concentração populacional, e que são auto-sustentáveis, a exemplo do Conjunto Augusto Franco e do Siqueira Campos, porém para cada localidade se faz necessário desenvolver um projeto de distribuição de estações e que haja interligação entre elas”, explica Flávio Vasconcelos.

O Sistema Caju Bike é um projeto de sustentabilidade desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Aracaju em parceria com a NET e a empresa Serttel. É composto por Estações inteligentes, conectadas a uma central de operações via wireless, alimentadas por energia solar, distribuídas em pontos estratégicos da Cidade, onde os Clientes cadastrados podem retirar uma Bicicleta, utilizá-la em seus trajetos e devolvê-la na mesma, ou em outra Estação. O Download do aplicativo pode ser feito no site do Caju Bike.

Asscom SMTT

Video TV Sergipe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *