A Ciclo Urbano terá a Pesquisa Origem e Destino das Viagens em Bicicleta em Aracaju (Origin-destination of Cycle Trips in Arcaju) apresentada no Velo-City 2017 em 15 de Junho de 2017, na Holanda. Dentro da temática do Planejamento Urbano, a sessão “Planejamento baseado em Estudos: criando uma rede cicloviária em países iniciantes” contará com a nossa e outras duas palestras.

O moderador da sessão, Jeroen Buis, é planejador de tráfego e consultor de ciclomobilidade que trabalhou com projetos cicloviários e ministrou workshops sobre ciclismo urbano na África do Sul (2000), Brasil (todos os anos entre 2000 e 2007) e Índia (desde 2007), e escreveu:

“Com o intuito de incluir a infraestrutura cicloviária na agenda, coletar informações acerca do uso das bicicletas pode ajudar a suprir essa necessidade. Nessa sessão serão 3 casos em diferentes continentes, onde foram tomadas iniciativas por uma instituição educacional, educacional uma consultoria de pesquisa e uma ONG para entender melhor a magnitude da ciclomobilidade (Índia), origens e destinos das viagens em bicicletas (Brasil) e as rotas todas pelos ciclistas, bem como os ambientes a que os ciclistas estão expostos (África do Sul). Cada estudo tem o objetivo de demonstrar a necessidade de uma infraestrutura cicloviária mais segura e identificar os desafios e necessidades dos ciclistas.

Índia – Estudo sobre o fluxo de bicicletas em tráfego misto

Nesta pequena cidade indiana com um uso de bicicleta relativamente alto, a ciclomobilidade ainda não está planejado pelas autoridades locais. Através da observação direta do ciclismo com câmeras de vídeo, este estudo mostra a magnitude do uso da bicicleta (compartilhamento do tráfego) em diferentes estradas, bem como a velocidade dos ciclistas. Foi dada uma recomendação geral, não específica ao local, sobre como melhorar as condições de ciclismo.

África do Sul – Avaliação das Ferramentas de Avaliação do Ambiente de Ciclomobilidade em um corredor da Cidade do Cabo

Em Cape Town, as políticas pró-ciclomobilidade já estão em vigor e a infraestrutura já está criada. Em um corredor onde este último ainda não é o caso, um pequeno número de entrevistas e grupos focais em comunidades no corredor fornece informações interessantes sobre a escolha da rota em relação à segurança pessoal e rodoviária. Dados adicionais foram obtidos através da observação direta das práticas dos viajantes por parte dos pesquisadores. Os dados foram utilizados para propor uma ferramenta de avaliação da ciclomobilidade para a situação específica da África do Sul.

Brasil – Origem-Destino de viagens em bicicletas

Na cidade brasileira de Aracaju, onde a infraestrutura cicloviária já está criada, foi realizada uma pesquisa completa de toda a cidade com a aplicação de 1001 questionários para a criação do estudo origem-destino. A pesquisa também reuniu dados demográficos e socioeconômicos de ciclistas, bem como feedback sobre a infraestrutura cicloviária existente na cidade. O estudo fornece informações valiosas para os planos e políticas de ciclomobilidade da autoridade local.”

“Estamos empolgados com as experiências e novos conhecimentos que traremos de lá”, enfatiza Manuelle Saturnino, associada Ciclo Urbano que representará a ONG na Holanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *