13mar/18

Sociedade civil, organizações e poder público participam de Oficina de Formação pela Bicicleta em Aracaju

Nos últimos dias 07 e 08 de março ocorreu em Aracaju a Oficina de Formação pela Bicicleta de Sergipe, realizada pela União de Ciclistas do Brasil – UCB e Bike Anjo com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (ICS), em parceria com a Associação Ciclo Urbano, Sociedade Semear, Federação Sergipana de Ciclismo, Instituto Iluminar e Serttel. A atividade faz parte da campanha Bicicleta nos Planos que, dentre outras ações, está circulando pelas cinco regiões brasileiras promovendo oficinas. Até então, já foram realizadas oficinas nas regiões Nordeste, Sul e Norte. Em abril será realizada a Centro-oeste e em junho a Sudeste. A Oficina Sergipe foi uma edição extra, fruto da articulação entre a Ciclo Urbano e as duas instituições realizadoras da campanha.

Foto: Fabiana Droppa

Durante os dois dias, as pessoas presentes participaram de palestras, dinâmicas e uma visita técnica – pedalando pelos principais trechos de circulação de ciclistas na capital sergipana – e tiveram acesso a informações acerca do planejamento, implantação e monitoramento de políticas de bicicleta e as respectivas conexões entre essas e outras políticas públicas urbanas.

Ricardo Mascarello, diretor do programa Aracaju Inteligente, Humana e Criativa, afirmou que  “através de uma dinâmica miscigenada de exposições, encenações, debates, reflexões, visita técnica, conversa de almoço e um breve ensaio de planejamento frente a problemas e ações, percebemos que pensar no urbano a partir da bicicleta nos eleva muito além da locomoção”.

Durante as 16 horas de oficina, o público presente foi estimulado a expressar as motivações de promover a bicicleta, refletir sobre os desafios da mobilidade ativa em Aracaju, e definir, de forma compartilhada e colaborativa, planos de ações para iniciar o processo de solução de alguns desafios do município. Um dos participantes, Diego Carvalho, chefe de núcleo de sinalização da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju – SMTT, declarou que “o formato da oficina, estreitando laços entre o poder público e a sociedade civil, foi crucial para a construção de um plano de Mobilidade Urbano mais coerente com a realidade na qual estamos inseridos”.

Ainda durante o primeiro dia do encontro, insights de como e porque promover a bicicleta na cidade, o que compõe uma política da bicicleta, como ela se integra a outras políticas urbanas, além de uma simulação de uma audiência pública com tema mobilidade ativa, tornaram o dia muito participativo e reflexivo. Um grande destaque do dia foi a apresentação do projeto Aracaju Acessível, com ênfase no Pedalando sem barreiras e o aplicativo Aracaju Acessível, por Lucas Aribé – empreendedor social do Instituto Lucas e Mariana Aribé de Acessibilidade para a Inclusão Social de Pessoas com Deficiência – ILUMINAR e vereador. O bate-papo proporcionou aos presentes conectar de maneira mais ampla a mobilidade, acessibilidade e a inclusão das pessoas com deficiência no contexto urbano.

No segundo dia de oficina, iniciamos as atividades com uma visita técnica. O percurso teve em torno de 10 km, com paradas em pontos estratégicos, nos quais se pode vivenciar temas e ferramentas abordadas durante a oficina, bem como identificação de problemas e soluções para se promover a mobilidade ativa em Aracaju. Ainda tivemos a apresentação da dissertação de Waldson Costa, membro – fundador da Ciclo Urbano, com o tema “Proposta de Indicadores para a Avaliação da Ciclabilidade na Cidade de Aracaju”.

Foto: Thiago Santos

Para Guilherme Tampieri, integrante da campanha Bicicleta nos Planos, a experiência de realizar a oficina em Aracaju foi incrível, em especial pela disposição e diversidade do público presente. Além disso, Guilherme, que pedalou pela cidade, acredita que Aracaju tem forte potencial de ser uma cidade mais amiga da bicicleta, desde que alguns desafios sejam superados. Dentre eles, segundo Tampieri, é a necessidade do Plano de Mobilidade da cidade ser revisado ouvindo a população que pedala pela cidade e, em seguida, que a bicicleta seja parte dos princípios, diretrizes, objetivos e medidas previstas no Plano, no horizonte 2020 e também no longo prazo.

Estímulo da bicicleta é pauta em encontros no município

Aproveitando o momento da oficina, a Ciclo Urbano realizou outros dois encontros, sendo o primeiro, na terça-feira, 6 de março, com o procurador-chefe do Ministério Público Federal em Sergipe (MPF/SE), Rômulo Almeida, para tratar sobre como a utilização de bicicleta pode beneficiar na saúde física e mental das servidoras e servidores do órgão. E ainda, como a Associação Ciclo Urbano pode recorrer à procuradoria nas questões referentes a bicicleta na cidade.

No mesmo dia, o segundo encontro foi com o secretário municipal da Indústria, Comércio e Turismo (SEMICT), Jorge Santana e com o diretor do programa Aracaju Inteligente, Humana e Criativa (AIHC), Ricardo Mascarello, para tratar da relação que a mobilidade por bicicleta tem com o desenvolvimento do turismo e economia do município. Além de estabelecer a parceria entre a SEMICT, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju (SMTT/Aju), a Ciclo Urbano e o Instituto de Arquitetos do Brasil de Sergipe (IAB/Se), para a elaboração de um projeto piloto de ciclorrotas na capital, coordenado pela SMTT.

Ambos encontros, tiveram como objetivo geral sensibilizar os dois atores públicos sobre a importância da promoção da bicicleta para além das questões de infraestrutura cicloviária, conectando a mobilidade ativa com saúde, inclusão social, questões ambientais, economia e outras.

Para Sayuri Dantas, presidente da Associação Ciclo Urbano, “os dois encontros demonstraram que há um avanço significativo no debate sobre bicicleta e mobilidade ativa no nosso contexto. A presença de Guilherme Tampieri nestas oportunidades, trouxe um apanhado de informações das oficinas realizadas em outras regiões do país, com exemplos do que vem sendo feito em diversas cidades, e possibilitou ampliar as formas de atuação na competência de cada um desses órgãos”, finalizou.

A Oficina por quem participou

“Achei bastante interessante as ferramentas que foram utilizadas de integração, para que todos e todas pudessem se sentir realmente no universo da bicicleta e de como ela pode ser um importante instrumento, não apenas de lazer ou de saúde para as pessoas, mas também como um transporte efetivo nas cidades.

Foi interessante porque não é um universo que vivencio no meu dia a dia. Já li e tive oportunidade de estudar e aprender um pouquinho com outras pessoas, como o colega Waldson, por exemplo. Mas, vivenciar da forma como as pessoas que diariamente estão com ela, e que foram capazes de nos mostrar como a cidade pode se relacionar com a bicicleta e vice-versa, trazendo um ganho enorme para as pessoas, foi muito interessante.

O evento foi de um formato único, que precisa acontecer mais vezes e envolver cada vez mais gente. É uma maneira até de educação social, de aprender a conviver com o outro, com as diferenças. Para que realmente se possa construir uma cultura da bicicleta na cidade e fazer de Aracaju um lugar mais legal para se viver. Vera Ferreira – arquiteta e urbanista.

“Na realidade só queria destacar a singularidade do evento e de como me senti nele incluída, não só como instituição mas principalmente como cidadã.Esse momento ímpar de união pela acessibilidade permitiu-me conhecer de perto a importância da bicicleta no sistema de transporte público urbano e compartilhar ideias e ideais de melhoria da qualidade de vida da população aracajuana a partir da sua utilização. Destaco como ponto alto da oficina o viver a cidade e seus pormenores cotidianos no trânsito quando sobre triciclo, conduzido pelo oficineiro Guilherme. Ví e senti na prática a minha cidade e o que precisa ser feito para harmonizar o convívio humano com as ruas e ciclovias e garantir o direito de ir e vir que é de todos os cidadãos.

Obrigada Ciclo Urbano por mais essa oportunidade de reflexão para ações simples e práticas de acessibilidade e inclusão social.

Abraços e gratidão por se fazer presente em nosso presente.” Ana Fátima – Instituto Lucas e Mariana Aribé de Acessibilidade para a Inclusão Social de Pessoas com Deficiência – Iluminar

 

“Para mim participar desta oficina foi bastante enriquecedor, fez reacender a chama do ativismo, provocando-me inquietações e desejos, por uma cidade melhor, uma Aracaju acessível e viável a todos(as). Um ponto bastante importante e primordial, para que as coisas aconteçam efetivamente, foi a participação de pessoas que estão ligadas diretamente com a prefeitura, desta forma, teremos facilidade em diálogos futuros, para que tenhamos um resultado promissor, na reconstrução da nossa querida Aracaju. Um muito obrigado ao Guilherme, por todo conhecimento e experiências que compartilhou. Parabéns Sayuri por mediar mais uma oficina, promovida pela ONG, com sucesso e organização.” Thiago Santos – Fixaju.

 

“É com imensa satisfação que agradeço a Guilherme Tampieri  e a Ciclo Urbano pela oportunidade de participar ativamente da Oficina de Formação pela Bicicleta nos Planos. Aprofundamos conhecimentos técnicos e teóricos de infraestrutura e de mobilidade no entendimento a indução dos transportes ativos.

O mais tocante neste cenário foi a transposição muito além da bicicleta como meio de transporte, para uma compreensão frente a regeneração urbana e infinitos paradigmas, entrelaçando dimensões sociais, econômicas, humanas e ambientais.

Nos deslocamos para uma relação de pertencimento, humanidade e felicidade!

Guilherme e a Ciclo Urbano nos levaram a experimentar novos sabores e saberes como provar uma fruta nunca antes degustada…”O Biribiri do Sul da Bahia”

O legado nos rega de otimismo e entusiasmo para levarmos nossos planos a materialização a partir de um arranjo colaborativo entre todos os atores. Parabéns aos queridos Guilherme Tampieri, Sayuri Dantas e Waldson Costa.” Ricardo Mascarello, diretor do programa Aracaju Inteligente, Humana e Criativa.

 

“Eu agradeço a oportunidade de ter feito parte dessa oficina que contribuiu de forma significativa, tendo em vista a importância da inclusão da bicicleta no plano.

O formato da oficina, estreitando laços entre o poder público e a sociedade civil, foi crucial para a construção de um plano de Mobilidade Urbano mais coerente com a realidade na qual estamos inseridos.

É importante ressaltar também a criatividade das dinâmicas realizadas e o poder didático do mediador.” Diego Carvalho, chefe de núcleo de sinalização da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju – SMTT.

06mar/18

Mobilidade: estímulo ao uso de bicicleta é tema de reunião na Semict

Na tarde desta terça-feira, 6, o secretário municipal da Indústria, Comércio e Turismo, Jorge Santana, recebeu os representantes da ONG Ciclo Urbano,  Sayuri Dantas e Waldson Costa, e o coordenador nacional do projeto “Bicicleta no Plano”, Guilherme Tampieri, para discutir o estímulo do uso da bicicleta em Aracaju. “O objetivo do projeto é estimular o uso da bicicleta nos centros urbanos com população superior a 20 mil habitantes. Ele (o projeto) nasce com o objetivo de dar subsídios, tanto para prefeituras como a sociedade civil, de terem condições de colocar em seus planos de mobilidade a bicicleta, para que mais pessoas usem esse modal nas cidades brasileiras”, explicou.

Guilherme já esteve em todas as regiões do país divulgando o projeto e nesta passagem por Aracaju, vai ministrar a Oficina de Formação pela Bicicleta de Sergipe, tema com interface no programa Aracaju Inteligente, Humana e Criativa (AIHC), coordenado pela Semict. “Tivemos uma conversa muito proveitosa com Sayuri e Waldson da ONG Ciclo Urbano, e com o consultor Guilherme Tampieri, sobre a importância da bicicleta como um modal da mobilidade urbana. Acreditamos que os modais não motorizados têm tudo a ver com a mobilidade em uma cidade inteligente, por isso nossa equipe tem estudado o tema e participado de discussões com os colegas da SMTT, que comungam desse mesmo pensamento”, ressaltou o secretário Jorge Santana.

“A gente faz parte da comissão de revisão do Plano de Mobilidade Urbana, que está sendo coordenado pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju (SMTT), e no âmbito do AIHC, entendemos a importância da bicicleta não só como uma questão de mobilidade e redução de gases, mas também para o turismo e na logística de entrega de produtos – via delivery na cidade”, destacou o diretor do programa AIHC, Ricardo Mascarello, acrescentando que a Semict tem mantido diálogo com a diretora de planejamento da SMTT, Lucimara Passos, para desenvolver projeto piloto de ciclorotas, em parceria com a Ciclo Urbano e o Instituto de Arquitetos do Brasil de Sergipe (IAB/Se). “Tanto o processo de revisão do Plano de Mobilidade quanto os projetos pilotos em estudo, são de coordenação da SMTT”, reforçou Ricardo.

A oficina ministrada por Guilherme Tampieri contará com 4 módulos de discussão: 1) Por que promover a bicicleta na política cicloviária; 2) O que compõe uma política da bicicleta e como ela se integra a outras políticas urbanas; 3) Ferramentas de planejamento participativo e implementação da bicicleta na cidade; e 4) Laboratório prático com visita técnica na cidade para experimentar as ferramentas propostas e caminhos possíveis para trabalhar o tema. “Como vai ter muita gente da gestão pública participando, o Guilherme vai mostrar que investimento em mobilidade com bicicleta não é oneroso para o estado; que não é preciso fazer grandes investimentos e que produz resultados efetivos para o trânsito”, afirmou o representante da Ciclo Urbano, Waldson Costa.

O evento acontece dias 7 e 8 de março, na Sociedade Semear, e é uma realização da Bike Anjo e União de Ciclistas do Brasil (UCB), com apoio do Instituto Clima e Sociedade (ICS), em parceria com a Ong Ciclo Urbano, Sociedade Semear, Federação Sergipana de Ciclismo, Instituto Iluminar e Serttel.

Fonte: Prefeitura de Aracaju

28fev/18

Oficina Bicicleta nos Planos Nordeste acontecerá em Sergipe nos dias 7 e 8 de março

Os municípios brasileiros acima de 20 mil habitantes devem desenvolver um PlanMob até abril de 2018. Para contribuir nesse processo, a Bike Anjo e a UCB – União de Ciclistas do Brasil, com apoio do iCS – Instituto Clima e Sociedade, criaram e realizam, desde dezembro de 2015, a campanha Bicicleta nos Planos.

A Campanha Bicicleta nos Planos tem como objetivo engajar e assessorar municípios brasileiros e a sociedade civil a incluírem a bicicleta, com qualidade, nos seus Planos de Mobilidade Urbana (PlanMobs).

Saiba mais: bicicletanosplanos.org

OFICINA FORMAÇÃO PELA BICICLETA  

Como parte do projeto que envolve a campanha Bicicleta nos Planos, estamos organizando oficinas de formação pela bicicleta, sendo uma em cada região do país e eventuais oficinas regionais, como o caso dessa em Sergipe.  O objetivo da oficina é de gerar conhecimento e experiência no âmbito do planejamento, implantação e monitoramento de políticas de bicicleta, em conexão com outras políticas públicas urbanas.

A oficina, a quarta realizada, será nos dias 7 e 8 de março de 2018, em Aracaju, e queremos fazer uma divulgação para alcançar o público da oficina: gestores municipais, gestores estaduais, técnicos públicos e lideranças da sociedade civil e academia que atuam e/ou promovem a bicicleta e mobilidade a propulsão humana nas cidades de Sergipe. É ideal a participação de pessoas de várias cidades, sendo 1 membro da sociedade civil e 1 da prefeitura de cada uma dessas cidades, totalizando até 25 vagas.

Inscreva-se aqui

 

DATA: 7 e 8 de março de 2018

LOCAL: Sociedade Semear

O evento é GRATUITO.